• Amom Lins

Quando meu celular carregou a tomada

Meu celular e eu temos um segredo para fazer o casamento durar: uma vez por semana, ele me deixa na mão. Não mais que isso, pois aí eu começaria a considerar a compra de um novo, nem menos, para que eu não comece a pensar que gastei muito dinheiro ao comprá-lo. É uma relação bem equilibrada. Para compensar o fato, eu também o deixo na mão uma vez por semana.


Ele faz na terça e eu, nas quintas.


Nós também dormimos em locais separados: eu durmo na cama, ele no criado-mudo. Cada um respeita o espaço do outro. Quando o coloco para dormir na cama, ele já fica logo esquentadinho, parece que vai explodir.


Perguntei a ele como gostaria de comemorar o nosso aniversário de um ano, e ele disse que queria ir a algum local que nunca tinha ido. Suspirei. Eu pensei no chão do meu quarto, ele pensou logo no chão visto do décimo quarto andar. Entramos num impasse.


Nós sempre andamos de mãos dadas. Se eu o soltar, ele fica lá mesmo e não volta pra casa. Já passei pela dificuldade da semana.


Hoje, quando acordei, refleti um pouco. Se você parar pra pensar, o casamento é a causa número 1 dos divórcios. A número 2 é a insatisfação, algo que eu não tinha há muito tempo. Mas hoje fui traído: conectei o aparelho ao carregador e aguardei umas duas horas. Ao final da espera, uma decepção: zero bateria. Fui traído, o celular carregou a tomada. Acho que é hora de me divorciar.

3 comentários

Posts recentes

Ver tudo